terça-feira, 16 de julho de 2013

POLICIAIS PARAM DIA 18


Agentes e escrivães da Polícia Civil vão cruzar os braços a partir da próxima quinta-feira. Está mantido o indicativo de greve da categoria que exige melhorias de trabalho ao Governo do Estado. Ontem, uma reunião entre representantes do Sindicato dos Policiais Civis do Rio Grande do Norte (Sindipol/RN) e o titular da secretaria de Estado da Administração e dos Recursos Humanos (Searh), Antônio Alber da Nóbrega, não foi realizada devido à ausência do secretário. Um novo encontro está marcado para amanhã, às 10h.

De acordo com o presidente do Sinpol/RN, Djair Oliveira, o encontro de ontem foi agendado  pela própria Searh após uma manifestação realizada pelos policiais, na última sexta-feira, em frente à secretaria. No entanto, o encontro não foi realizado. Ao invés de serem recebidos pelo titular da pasta, os representantes do Sinpol/RN participaram de uma outra reunião com a secretária adjunta, Suely Pimentel, e membros do Sindicato de Auditores Fiscais do Rio Grande do Norte (Sindifern). “Eles estavam discutindo outras questões. Nossa pauta de reivindicações sequer foi mencionada. Não fazia sentido estarmos aqui sem a presença do secretário”, colocou Djair.

A equipe de reportagem tentou falar com a secretária adjunta da Searh, Suely Pimentel, mas o acesso ao Gabinete não foi liberado. Um novo encontro foi marcado para amanhã, às 10h. O presidente informou também que o indicativo de greve está mantido. “Vamos parar na próxima quinta-feira. Isso está definido. Qualquer mudança vai depender desse encontro”, ponderou.

A pauta de reivindicações do Sinpol/RN é extensa. Entre as reivindicações estão: nomeação de concursados, mudança na carga horária, modernização da polícia, plano de cargos e implantação de carreira única.

Adepol

A Associação dos Delegados da Policia Civil (Adepol) decidiu em assembleia  que os delegados farão uma paralisação de 24 horas na próxima quinta-feira (18). Na ocasião será dado um abraço coletivo em volta do prédio da Degepol. A entidade está chamando o ato de “paralisação de protesto”.  A decisão foi motivada após o Governo do Estado emitir o decreto no qual consta que o Arquivo Público Estadual será transferido para o endereço da Degepol. O secretário adjunto da Secretaria de Estado e da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed), Silva Júnior, afirmou que as atividades realizadas no local continuarão e que será construído um anexo. 

Fonte: Tribuna do Norte