terça-feira, 10 de setembro de 2013

ACUSADO DE ESFAQUEAR MÃE E FILHO EM BRIGA DE TRÂNSITO EM NATAL VAI A JÚRI

Wagner Gomes de Lima também atentou contra a vida do filho da vítima.
Lúcia Maria Montenegro, 55 anos, foi morta na Av. Bernardo Vieira em janeiro.
Wagner Gomes e faca usada no crime (Foto: Divulgação/Polícia Civil do RN) 

Wagner Gomes e faca usada no crime (Foto: Divulgação/Polícia Civil do RN) 

Acusado de esfaquear uma mulher e o filho dela após uma briga de trânsito, fato ocorrido em janeiro deste ano na avenida Bernardo Vieira, em Natal, o mecânico Wagner Gomes Lemos de Lima, de 37 anos, será julgado nesta terça-feira (10). Depois de esfaqueada, Lúcia Maria Wanderley Montenegro, de 55 anos, morreu. O filho dela, Ruthenio Antônio Wanderley Montenegro, de 24, escapou gravemente ferido. O julgamento do réu será presidido pela juíza Eliana Monteiro e começa às 8h no Fórum Miguel Seabra Fagundes.

Segundo o TJ, o acusado vai a julgamento pelo Tribunal do Júri Popular responder pela prática de homicídio qualificado, cometido à traição, de emboscada, ou mediante dissimulação ou outro recurso que dificulte ou torne impossível a defesa do ofendido. Em relação à vítima sobrevivente, Wagner Gomes responderá por tentativa de homicídio.

Em julho, o juiz Ricardo Procópio Bandeira de Melo, da 3ª Vara Criminal de Natal, admitiu a acusação feita pelo Ministério Público. O magistrado também negou o pedido de Wagner Gomes para aguardar o julgamento em liberdade, como forma de garantir a ordem pública e porque o acusado é reincidente. Ele já foi condenado em processo criminal, por estupro, e está cumprindo pena.
O crime
Lúcia Maria Wanderley Montenegro, de 55 anos, e o filho Ruthenio Antônio Wanderley Montenegro, de 24, foram esfaqueados após um briga de trânsito ocorrida no dia 7 de janeiro deste ano em um trecho da avenida Bernardo Vieira, no bairro das Quintas, zona Leste de Natal.
Segundo a polícia, Wagner dirigia um Chevete de cor bege que colidiu com outros dois veículos, um Pálio e um Fiesta. Após a batida, o mecânico teria dado marcha ré, batido em uma motocicleta e ainda realizado uma contravenção - colocando o carro no sentido contrário da via, que dá acesso à zona Norte da capital.
Testemunhas relataram à polícia que pensaram que o suspeito iria fugir. No entanto, disseram que Wagner retornou ao local onde estavam os outros dois veículos envolvidos na colisão e atacou Ruthenio, motorista do Fiesta, enquanto ele ligava para a polícia. A mãe do rapaz, Lúcia Maria, foi defender o filho e acabou sendo esfaqueada embaixo da axila esquerda.
Mãe e filho foram socorridos pelo Samu ao Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel, mas Lúcia Maria não resistiu ao ferimento e morreu a caminho da unidade. Ruthenio foi atingido no braço esquerdo e na barriga, sendo liberado depois de passar por cirurgia.
Wagner fugiu logo em seguida. A polícia contou que utilizou imagens das câmeras de segurança dos estabelecimentos próximos ao local onde ocorreu o acidente para identificar a placa do automóvel do suspeito. O mecânico foi preso no dia seguinte, ao ser encontrado na casa de um tio, na cidade de Nova Cruz, a pouco mais de 90 quilômetros da capital potiguar. A faca utilizada no crime foi apreendida.
Av. Bernardo Vieira, local onde aconteceu o acidente e mãe e filho foram esfaqueados (Foto: Rafael Barbosa/G1) 
Av. Bernardo Vieira, local onde mãe e filho foram esfaqueados (Foto: Rafael Barbosa/G1)
Fonte:G1.RN